2 de abr de 2011

A solidão é meu cigarro

"Não sei de nada e não sou de ninguém
Eu sigo só porque é o que me convém
Minha canção é o meu socorro
Se o mar virar sertão, o que é que tem? (Zeca Baleiro)"

Dias vão dias vem, uns em vão outros nem.
Quem saberá a cura do meu coração, se não eu.
Não creio em santos ou poetas.
Perguntei tanto e ninguém repondeu.

Melhor é dar razão à quem perdoa
Melhor é dar perdão à quem perdeu."

A cada dia estou mais sozinho, mais descrente e mais triste. Sufocando os sentimentos no trabalho e trabalhando sem sentir, sempre em excesso. Não tenho dúvidas que dessa forma vou ganhar muito dinheiro. Mas vou encontrar a felicidade?

Nenhum comentário: