15 de nov de 2011

Somos o que podemos ser

Eu mudei radicalmente nos últimos meses... na verdade mudança é meu sobrenome. Continuo trabalhando duro, descobri que tenho muita vocação para vendas e trabalhar com meu pai está sento realmente interessante. Além do mais, posso exercer minhas paixões, como gastronomia e artes, já que tenho mais tempo.

Minha maior mudança foi comportamental, cada vez mais para a esquerda. Não sou mais aquele nerd solitário e infeliz. Estou em uma vida meio Bon Vivant. Tudo começou após um curso de sedução que fiz no Rio de Janeiro, em Agosto (www.puatraining.com.br). Ok, sei que isso pode soar brega, vazio ou sem sentido, mas minha vida mudou à partir daí.

O lado bom? Fiquei totalmente desprendido e articulado. Nesses quatro meses consegui inúmeras conquistas: Conheci novos amigos, novas mulheres, novos clientes... e tudo isso tem me deixado extremamente feliz!

O lado ruim? Fiquei totalmente desprendido e articulado. Nesses quatro meses estou perdendo mais minha "pureza". Estou endurecendo ainda mais.

29 de jun de 2011

Um pouco mais pra esquerda

Me movi, um pouco mais para e esquerda, como quando tiramos foto. O que isso significa? Bem... Trabalhava em banco. Agora de volta à empresa do meu pai. Continuo ocupado suficiente para continuar correndo e triste o suficiente para continuar pensando em nada. Tá foda! Meio que estou correndo atrás do próprio rabo.

Estou chegando à conclusão que vivo uma vida de pré-destinado. Com toda falta de graça que isso quer dizer. Meu destino está meio traçado. Eu quero ser artista ou chef, mas virei administrador. Eu quero ser rebelde, mas estou conservador.

Descobri que não sou uma metamorfose ambulante, mas estou no ponto exato do que quero ser e do que traçaram para mim. Será que vale a pena abrir mão de conforto e de segurança para buscar a essência? Enquanto não descubro a resposta certa, sigo assim, à curtos passos, um pouco mais pra esquerda...

8 de abr de 2011

Sem Lugar

Minha vida não tem lugar para mim. Tenho muita saudade do meu passado, quando valorizava mais as pessoas. E curtia mais a minha vida. Hoje, vivo com a cabeça no trabalho e meio que esqueci como é isso... sempre na expectativa disto ou daquilo... sempre pensando no amanhã e deixando o agora para trás. Cada vez mais penso que preciso mudar radicalmente tudo ao meu redor. Mas chego a conclusão que quem tem que mudar sou eu.

O Brasil não tem lugar para mim. Estou planejando sair por um tempo e largar tudo. Pensei muito nisso nos últimos dias... Estou um pouco confuso, mas decidido à me mover... vou continuar planejanto.

2 de abr de 2011

A solidão é meu cigarro

"Não sei de nada e não sou de ninguém
Eu sigo só porque é o que me convém
Minha canção é o meu socorro
Se o mar virar sertão, o que é que tem? (Zeca Baleiro)"

Dias vão dias vem, uns em vão outros nem.
Quem saberá a cura do meu coração, se não eu.
Não creio em santos ou poetas.
Perguntei tanto e ninguém repondeu.

Melhor é dar razão à quem perdoa
Melhor é dar perdão à quem perdeu."

A cada dia estou mais sozinho, mais descrente e mais triste. Sufocando os sentimentos no trabalho e trabalhando sem sentir, sempre em excesso. Não tenho dúvidas que dessa forma vou ganhar muito dinheiro. Mas vou encontrar a felicidade?

19 de mar de 2011

Meu passado me persegue

Essa semana fui à dois eventos que criaram situação no minimo estranhas: missa de formatura e colação de grau da minha ex. Explico: terminamos um relacionamento de 2 anos em janeiro e ficamos amigos. E como participei dos seus estudos, a ajudei a conseguir estágios e tal, me senti no dever de ir. Mas esse contato frequente não é legal. Talvez ela ainda goste de mim. Às vezes penso nela com nostalgia também. Mas fico só nisso.

Ela é do tipo mulher para casar: uma princesinha toda recatada. Mas a gente acabou não dando certo. Ela precisa de apoio demais e eu tenho tempo e paciência de menos. Se ela fosse um pouquinho mais independente, talvez tivéssemos dado certo.

Pensando por outro lado. Acho que eu não sou pra casar...

Curioso como o mundo dá voltas

É engraçado isso. Uma hora você está no topo e logo em seguida no fundo do fundo do poço. Pois bem... a mulher do post anterior me ligou no dia seguinte (!) me chamando para sair (!!) e eu falei um inacreditável "não posso porque já tenho compromisso" (!!!). E pior, me senti muito bem fazendo isso!

Depois de tanto insistir e tentar, estou a um triz de jogar a toalha. Sei lá, acho que não é pra ser com ela. Saber a hora de parar é um dos grandes desafios do homem. A gente nunca sabe ao certo, mas provavelmente agora é a minha hora de buscar novos rumos.

16 de mar de 2011

Sentir é ser fraco?

Eu tenho endurecido ao longo dos anos. A cada ano fico menos expressivo e menos emotivo. Sinal da vida adulta e do que vem pela frente. Esses dias aconteceu algo que me endureceu ainda mais.

Desde o primeiro dia de aula na faculdade, há 6 anos atrás era apaixonado por uma garota que namorava um cara. Quando ela terminou, eu namorava outra pessoa. E quando eu terminei ela estava em outro. Nunca nos encontrávamos. Acabamos ficando amigos. Melhores amigos...

Mas nossos caminhos se cruzaram. Ambos solteiros, começamos a sair mais. Balada, barzinhos, começamos a nos falar mais por telefone e logo eu já estava mais apaixonado que nunca. E acreditando que ela também estava. Criei um clima em uma dessas saídas e nao tive dúvida: Falei tudo que queria falar, que a desejava e blablabla.

Como acontece muitas vezes comigo, ela desconversou, contornou a situação e me deu um não delicado, "que é pra não estragar a amizade". Só que a amizade já estragou e não nos falamos há mais de três meses. Hoje liguei para ela só pra saber como ela estava. E ela estava fria e indiferente...

O fato é que ela pode ter perdido um grande romance e eu, além de uma amiga perdi um pouco mais da vontade de me expressar. Talvez seja melhor não falar sobre sentimentos para não revelar fraquezas.